# Você está no núcleo Curitiba

A vida na Terra como experiência emancipatória do espírito

O processo emancipatório diz da jornada do ser na permanente conquista de si mesmo. Amplia a liberdade do espírito pela coragem de exercer suas responsabilidades, de afirmar sua fé, de libertar-se do medo, de vícios e da ignorância. 

Na última live, A Doutrina Espírita: permanente processo de reconstrução humana, realizada no dia 24 de setembro, o médium fundador da Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas, Maury Rodrigues da Cruz, destacou a importância do ser humano perceber o processo emancipatório, onde a jornada evolutiva confere ao ser um fortalecimento da identidade em harmonia com o pertencimento à vida.

O processo emancipatório diz da jornada do ser na permanente conquista de si mesmo. Amplia a liberdade do espírito pela coragem de exercer suas responsabilidades, de afirmar sua fé, de libertar-se do medo, de vícios e da ignorância. É um processo absolutamente integrativo, que gera união entre as pessoas, com a natureza, com toda vida existente, enfim, com o Creador. 

O médium destaca a importância de perceber que a Doutrina Espírita e a vida transmitem sempre mensagens emancipatórias. Bem como, “toda a condição da cultura humana é emancipatória”, afirma o médium. Todo processo de vida promove o processo emancipatório. É o sentido evolutivo em movimento. Mas para evoluir, é preciso adaptar-se.

Os processos humanos (culturais, políticos, sociais e econômicos) também precisam alcançar e resguardar pelo processo emancipatório. E neste sentido, é preciso emancipar-se também dos processos normativos, reguladores e direcionais (protocolos), que engessam as ações humanas e não alcançam a dimensão processual aberta da vida na gestão das oportunidades de crescimento, progresso e desenvolvimento.

Nesse processo, Maury faz referência ao método imanente, que propõe a cada pessoa – na vivência cotidiana – a coragem de agir com integridade, caráter e dignidade, afirmando sempre sua natureza interior, sua própria identidade. Essa afirmação significa justamente emancipar-se.

A emancipação emerge como pontos de maturidade da inteligência na administração e gestão da própria vida. Implica em momentos nos quais o espírito alcança mais profundidade de conhecimento e visão, e mais simplicidade na expressão.

No campo educativo, o processo emancipatório mostra que ensinar é aprender. Assim, a construção do conhecimento faz parte de um processo comunicativo e integrativo, onde construir é compartilhar/participar.

Mensagem humanista emancipatória

“Esse é o momento do centro espírita pensar em promoção humana, em humanismo, isso, pelo processo de emancipação”, defende Maury. É preciso olhar para a dor, para o cenário de angústia, para as pessoas e para cada mensagem informada e comunicada. E, pelo processo emancipatório, alcançar o sentido de diversidade, que revela uma rede dinâmica de inteligências fazendo afirmações, construindo, vivendo em equilíbrio e harmonia, onde cada uma é diferente da outra, sendo cada singularidade a coragem imanente de ser a si mesma.

Lives Espíritas

As lives espíritas da Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas (SBEE) são transmitidas todas as quintas-feiras, a partir das 20h, pelo canal da SBEE no YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCGzHiDwoXkdfE3jX1SSIYnw