Doe para a SBEE

A SBEE precisa de sua ajuda para poder continuar suas atividades.  Doe via PayPal. 

Mais Informações

Atividades na SBEE

Informamos que:

Estão encerradas as consultas com o Espírito Leocádio José Correia.

O atendimento ao público de segunda e quartas continuam normalmente às 20h.

Em missão de paz

Todos os meses, milhares de pessoas vindas de várias regiões do Paraná e até mesmo de fora do Estado se dirigem até a Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas (SBEE), localizada na região Norte de Curitiba e conhecida por muitos pelo nome de Dr. Leocádio Correia. Essas pessoas, pertencentes a diversas religiões, geralmente buscam alívio e esperança para crises e angústias. E mesmo que não achem lá a resposta exata para o que procuram, sempre saem confortadas, no mínimo, pelos sorrisos, boa vontade e amizade que encontram.

Quem está por trás de tudo isso, há 53 anos, é o professor Maury Rodrigues da Cruz, idealizador, fundador e diretor-presidente da SBEE. Com formação em Ciências Sociais e Direito,pós-graduação em Orientação Educacional e Mestrado em Educação, quem o conhece sabe que ele é um homem simples e discreto.
Já foi professor primário em escolas isoladas, lecionou e coordenou na UFPR e na Faculdade de Direito de Curitiba. Foi também diretor do Museu Paranaense. Hoje, além da SBEE, é diretor-presidente do Museu Nacional do Espiritismo (MUNESPI) e do Lar Escola Dr. Leocádio José Correia, entidade mantenedora da Faculdade Doutor Leocádio José Correia (FALEC), todos com sede em Curitiba.

Como a SBEE começou e quantas pessoas trabalham lá hoje voluntariamente?
Maury Rodrigues da Cruz – O ínicio foi com um pequeno grupo de pessoas que tinham afinidade com a proposta de Leocádio Correia. Hoje, participam em média duas mil pessoas nos estudos doutrinários e 450 no atendimento ao público.

Quantas pessoas são atendidas semanalmente pela SBEE?
Aproximadamente 1.400 pessoas.

Qual o objetivo da Sociedade?
Um permanente trabalho de consciência crítica e autoconhecimento. Propor uma forma diferenciada de ver o mundo: a Doutrina dos Espíritos “não ensina o que se deve pensar, mas ensina a pensar”.

Como a sociedade civil pode ajudar nas obras sociais da SBEE?
Além da manutenção de sua sede, possuímos onze frentes de trabalho. Para isso, é recebido apoio da comunidade com doações em espécie, roupas e objetos usados e novos que são selecionados para distribuição entre os assistidos e bazares de caridade.

Há quantos anos, o médium Chico Xavier nos deixou, interrompendo uma enorme obra social. Em sua opinião, os trabalhos da SBEE dão continuidade a este legado de assistência social no Brasil?
Não há sucessão no espiritismo. Cada médium apresenta um desempenho especifico. Um Projeto Político Pedagógico com constante atualização do currículo e uma dinamização permanente dos programas possibilitam à SBEE um atendimento diferenciado às pessoas que nos procuram.

Como é o seu dia-a-dia? A sua rotina é totalmente voltada para as causas sociais?
Não. Sou professor universitário, advogado, homem público e religioso. Preocupo-me com a fé racional em Deus, o amor ao próximo, o conhecimento e a sabedoria para alcançar com dignidade os saberes sociais.

O que gosta de fazer como lazer, quando não está trabalhando?
Estar em contato coma a natureza, fazer leituras sobre a história da humanidade, visitar museus, antiquários e criar protocolos para a guarda e conservação de antiguidades.

Que livro o senhor está lendo agora?
O Ensaio sobre a Lucidez, de José Saramago, e O Código Da Vinci, de Dan Brown.

Revista Ser Espírita nº 30

Revista Ser Espírita nº 30

Projeto Grão em Grão

Novas Metáforas do Pensamento Espírita

Novas Metáforas do Pensamento Espírita

Antropologia Espírita

Antropologia Espírita

Área Restrita