Início

A Responsabilidade do Médium Espírita: A Coragem

Mensagem aos médiuns pelo Espírito Leocádio José Correia através do médium Maury Rodrigues da Cruz em 27 de janeiro de 2016 na Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas, Curitiba, Paraná, Brasil.

Os médiuns espíritas tem o dever, a responsabilidade, de onde estiverem, apresentarem-se sempre com coragem.
No emprego, nas ruas, no trabalho, nos acontecimentos, na vida, é preciso coragem.
Cada um dos irmãos, na sua dimensão própria e pessoal, deve estar munido e assentado numa ordem de coragem.

-Espírito Leocádio José Correia

 

Leia mais: A Responsabilidade do Médium Espírita: A Coragem

 

A Mensagem Espírita, seu Processo Crítico de Construção

Palestra A Mensagem Espírita, seu Processo Crítico de Construção
Realizada pelo prof. Maury Rodrigues da Cruz no Centre Espírita Dr. Leocádio Correia no Rio de Janeiro,

em 12 de janeiro de 2016.

Palestra ao Público

 

Princípio, Convicção e Fé para Vencer o Materialismo

Mensagem aos médiuns pelo Espírito Leocádio José Correia através do médium Maury Rodrigues da Cruz em 16 de setembro de 2015 na Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas, Curitiba, Paraná, Brasil.

 

 

Aqui na Terra, nesse estágio que vocês estão vivendo, é um estágio de aprendizagem. Vocês vão encontrar diariamente pessoas. O que é muito importante é saber viver a sua filosofia de vida.

Os homens, certo ou errado, que vivem sua filosofia de vida, a comunidade inteira olha para eles e os respeitam. Podem até não concordar com aquela proposta deles. Mas, respeitam. Sabem que eles tem princípios. Os espiritistas precisam ter princípios. É fundamental aos espiritistas, ter princípios.

Vocês sabem que não devem dever aos outros. Vocês sabem que, ganhar dinheiro é difícil. E, fazer divida com terceiros, se não pagar, é horrível. Vocês sabem que, vocês não devem, de maneira nenhuma, se aproveitar, de nenhum centavo de quem quer que seja. Vocês sabem que, devem ter uma cautela extraordinária no que diz respeito as coisas que são de vocês. Que vocês conseguiram através de luta e de trabalho. Aquelas que não são de vocês, se não houver dono, entregue na polícia. Se não for de vocês, não se utilizarem do que não é de vocês. De maneira nenhuma.

É preciso uma cautela e um temor profundo no que diz respeito a essa vaidade interior e preocupação imensa. Todo mundo quer mais, quer mais. E querem ganhar mais dinheiro. Querem viver. É preciso que você tenham, um pouco de cautela no que diz respeito ao trabalho de vocês aí fora. Tem de trabalhar. Tem de economizar. Vocês vivem num país capitalista. Tem que ter reservas para amanhã fazer frente a dias. Não podem viver sobre a égide de, numa angustia, que: Eu sou pobre. Eu sou pobre. Eu quero. Vocês tem de ser felizes.

Tem que ter um grau de concentração de vocês, onde a filosófica espírita é consoladora. Ela me traz todos os dias a possibilidade de eu alongar o olhar e ver que eu estou na Terra para aprender. Não é para me conformar, mas para compreender. Eu estou passando por alguns estágios que vão me fortalecer para amanhã, para depois de amanhã. Então, eu preciso saber viver e sofrer as minhas convicções.

O homem que não sabe viver e sofrer suas convicções é um homem muito fraco. Muito fraco. Aliás, eu queria dizer para vocês que vocês estão aqui sentadinhos, bonitos, porque há número grande de homens, irmãos nossos que disseram não ao poder constituído do clero. Foram presos, torturados. Continuaram dizendo não, como Giordano Bruno.

Ah um número outros lesa-majestade, que se dizia. Até aqui no Brasil. Não aceito a ideia. Presos, às vezes. Ostensivamente mal tratados. Mas, nunca deixaram de pensar naquilo que entendiam que deveriam pensar. Então, são homens de convicção.

O centro espírita é uma casa de treinamento, de convicção. É uma agência social por excelência. Onde vocês tem de aprender à convivência com o próximo. Aprender, também, a se autodeterminar. Aprender a se autocontrolar. É fundamental que isso ocorra. Quando as coisas não ocorrem assim, vocês imediatamente se descompensam. Vivem descompensados.

O espiritista, onde ele estiver ele sempre será o socorrista de todas as horas. É preciso que vocês estejam sempre em equilíbrio, boa vontade, espírito crítico. Que vocês se voltem para as forças do bem e positive a vida. Não dá para negativar a vida. É preciso positivar a vida.

Eu sei que alguns de vocês, pelo processo reencarnatório, receberam pessoas difíceis em casa. Como filhos, sobrinhos, parentes. Eu sei disso. É a vida. É o transito reencarnatório. O que é preciso é não se desesperar. O que é preciso também, pai, mãe e adultos é, criar e educar os outros. É com disciplina. Ninguém educa sem disciplina.

Se nesse momento há uma liberalidade, há uma composição. Vocês ficam um pouco sem memória. Se vocês voltassem 1914, a 1917 e visse de 1917 até 1927, 1928, cancã, vestidos erguidos, prostituição, defesa pública de prostituição. Vocês iam começar a ver já Benito Mussolini se manifestando na Itália. A destruição da Abissínia.

Vocês iam ver, imediatamente, Hitler fazendo as marchas para tomar definitivamente o poder. Vocês iam ver Perón na Argentina, Getúlio aqui, República Dominicana com ditadores. Vocês iam ver que se criam graus de permissividade. Onde vem alguns capacitores, duros, muito duros. Vocês não estão sabendo ver, mas deveriam ler.

Vocês não estão vendo a quantidade de crianças, mulheres, passando fome na Rússia, entre 1917 e 1925. Foi tanta fome na Rússia, que eles diminuíram de tamanho. Foi tanta fome na Ucrânia, na Polônia que diminuíram de tamanho. Horrível. Alguns tiveram de deixar seus países. Marchas imensas de crianças e homens depois dessa guerra, procurando e procurando desesperados. Mas antes mesmo da guerra, todos eles desesperados. Não tinham mais casas, não tinham onde ir.

Vocês estão vendo a Síria. Estão vendo os outros países. Um quadro repetitivo histórico. Só que vocês não avaliam. Não deixam vocês avaliarem. Porque o processo materialista, o que quer de cada um de vocês, abertamente, ele quer treiná-los para soldados. Ele quer, se houver necessidade, vocês peguem em armas. Se vocês se sentirem agredidos, que vocês matem o outro.

Eles treinam vocês com outdoors, com novelas, com filmes, com notícias de jornais. Exatamente para que vocês se tornem altamente perigosos. É negar Deus e se afirmar no processo materialista. Eles não deixam vocês pensarem. Deixem de bobagem.

Quem tiver mais de 50, quantos anos mais vou ficar aqui. Parem de ficar a todos instantes se preocupando. O que é isso? eu não sou feliz. Quanto tempo mais vocês imaginam ficar na Terra? É muito importante agora, nesse momento.

Eu vou ter que olhar para todas as pessoas, todos meus irmão, carnais, meus irmão biológicos, meus irmão sociais, minha vida. Olhar para eles e dizer:

Que prazer! Que satisfação que eu tenho!

Parem com dessa preocupação intensa que tudo tem de estar em ordem, que tudo tem de estar perfeito. Que nada vai estar em ordem. Aqui tem de estar permanentemente em desordem para entrar em ordem. Mas é preciso mudar. Que vocês não são eternos. Cada dia vai um. Vão deixar a Terra. Só que não viveram o que deviam viver. Não se sensibilizaram para a alegria.

Quando morre alguém, eu vou lá, às vezes, ver vocês. Vocês estão a frente do defunto. Paradão lá. Vocês a dizer:

Eu vou ser diferente. Porque um dia há de ser eu. Vou ser diferente. Tudo vai ser diferente. A partir de amanhã vou pensar diferente.

Saem dali e pegam o tal de automóvel, o ônibus. Quinze minutos depois já estão iguais a anteriormente. Já começa tudo de novo até um outro defunto. Mas não mudam nada. Nada. Continuam sempre. Aquela autodestruição. Tratem de entender que vocês estão para viver.

Viver é ter alegria de ser. Uma alegria permanente. Tanto que o centro espírita tem de trabalhar, não para que o indivíduo tenha fé, mas que ele seja a fé. Quem é a fé não perde nunca. Quem tem fé perde. É preciso ser a fé. Em qualquer circunstância. Em qualquer situação. Sob qualquer momento. Sob qualquer tensão. É preciso ser a fé.

Eu só estou dizendo isso para vocês, para vocês verem o quanto todos nós, particularmente quando estamos encarnados, somos dotados de uma suportabilidade e até de um grau elevativo da composição nossa de forma e de corpo para que a gente possa administrar melhor a vida na Terra.

Eu sei que vocês todos estão aqui espontaneamente e missionariamente. Eu sei que vocês tem condições de ajudar muito. Como até hoje tenho feito ao próximo. Espero que vocês estejam sempre nesse trabalho construtivo.

Nós temos exemplos extraordinários de espiritistas no Brasil. O Chico Xavier, Cairbar Schutel. O Abib Isfer aqui em Curitiba, a Mari, a Lídia, o próprio instrumento. São pessoas que abandonaram praticamente os efeitos todos da vida terrena e se dedicaram a composição de construir o mundo. São permanentemente atacados. Eles ainda tem de administrar, tentar fazer o bem e ainda considerar que, como qualquer homem, e, o como o próprio Cristo, não conseguem agradar a todos.

É preciso ter a paciência de suportar aqueles irmão nossos que estão permanentemente fustigando ou criando, evidentemente, condições negativa de vida. Então vocês tem exemplos extraordinários. Eu convivi com Abib Isfer até ele desencarnar. Um homem extraordinário. Aqui em Curitiba. Recebendo pessoas. Ajudando pessoas. Aconselhando pessoas. Dizendo a pessoas o que significava ser bom. Mas com modéstia. É preciso que o médium espírita pegue esses exemplos todos e exalte esses exemplos na sua composição prática de vida terrena.

Deus esteja conosco. Jesus ilumine vocês todos. Que vocês tenham forças suficientes para vencer.

 

Reencarnação: Oportunidade de Aprendizado pela Força da Matéria

Trajetória Terrena

por Gladiomar Saade

Professora
Coordenadora de Exercício Mediúnico

 

 

"É muito importante entendermos esse processo de estar na Terra. Essa nossa estada aqui é como se estivéssemos em uma grande escola. Essa escola é justamente para fazermos lapidação de caráter.

Cada um de nós, nos ambientes em que nós circulamos e vivemos, nos espaços em que nós estamos, nas famílias que estamos inseridos, nós podemos, cada um, na medida do nosso possível, fazer um pouquinho mais daquilo que viemos fazer. Sempre é possível fazer um pouquinho mais.

Se nós não nos limitarmos tanto com a matéria. Com o peso da matéria. Com a ansiedade de querer levar e ter. Mas com a certeza absoluta de quando nós sabemos o que nós somos. E que nós temos consciência de que nesse plano terreno ele é transitório. Que existe outra vida. A vida de desencarnado. A vida espiritual.

Todas as nossas ações serão ações que terão um pouquinho mais de amor.
Que terão um pouquinho mais de fé.
Que terão um pouquinho mais de esperança.
Que nós renunciaremos um pouquinho mais em função do outro.
Que nós aprenderemos a perdoar e a dizer não tem importância, amanhã será um novo dia, amanhã será um novo começar.
Que temos de aproveitar ao máximo, com a felicidade que nós alcançamos, todos os momentos de convivência com as outras pessoas, porque é só assim que nós aprendemos.

Nessa relação, nesta troca que nós nos tornamos melhores.
É sempre nesse momento terremos que nós lapidamos o caráter.
Por tanto, é fundamental, é importante, é muito importante que façamos consciência de que nesse plano terreno e, que é muito rápido, nós temos grandes oportunidade de fazer o melhor.
Grandes oportunidades de sermos melhores."
- Gladiomar Saade

 

 

 

Registrando o Bem

Mensagem aos médiuns pelo Espírito Leocádio José Correia através do médium Maury Rodrigues da Cruz em 09 de setembro de 2015 na Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas, Curitiba, Paraná, Brasil.

 

Nós espíritos estamos na Terra para ensinarmos. Não a reagir contra o próximo, mas a reagir contra um estado de inanição que quando encarnados nós assumimos. Nós precisamos estar permanentemente fazendo compreensão do nosso cotidiano. Daquilo que nós vivemos.

Imagine o corpo de vocês como um barco.

Vocês vão para uma sala de aula: Que azar! Na minha frente sentou na minha frente um sujeito que é maior do que eu. Registraram o aspecto negativo na canoa de vocês

Tomaram um ônibus: um sujeito que não soube me dar lugar, me empurrou. Registraram outro. Depois, chegaram em casa e o filho não fez o que tinha de fazer. Registraram outra vez. Depois, o marido ou a companheira chegou tarde. Vocês registraram outra vez.

Então, durante o dia fizeram dez ou doze registros. Enquanto esses registros não deviam ser feitos.

Vocês todos entram aqui nessa sala, veem algumas coisas erradas. Você passam só os olhos, sentem, mas não registram. Então o que vocês devem tomar muito atenção. Em hipótese nenhuma ser assim. Que calor horrível. Porque que essa sala está quente. Porque que está fria? Primeiro que, aquilo que é ligado a natureza. Vocês precisam compreender. Tem que fazer um esforço para compreender.

Há mais uma coisa que eu quero dizer. Vocês um dia vão há uma pedreira e vejam uma pedra grande. Vejam lá o calceteiro, aquele indivíduo, batendo na pedra. E batendo na pedra. Aí vocês: Não era mais fácil bater do lado. Quem sabe quebra um pedaço. E ele vai continuar batendo, e batendo. De repente, se vocês permanecerem um pouquinho, a pedra vai partir ao meio. Então, é muito importante que vocês entendam que, vocês não podem de maneira nenhum ficar continuamente batendo em vocês. Porque essa coisa que vocês fazem. De ficar reagindo contra o mundo. Contra as pessoas. Nada tá bom. Tudo está desagradável. As coisas estão horríveis.

É evidente que alguns vão para o alcoolismo. Outros vão para a droga. Outras ficam insaciáveis. Outros estão permanentemente se agredindo. Não é possível ser assim.

Vejam essas mulheres, que tem um paninho na porta que tem que passar o pé para entrar na casa. Eu sei que tem de passar. Mas não pode ficar perturbada, porque a casa foi feita também para sujar. Não dá para ter permanentemente uma preocupação intensa sobre todas as coisas. É horrível. Não é possível.

O que vocês registrarem, faz peso. E o barco afunda. Vocês tem de olhar registrar algumas coisas que significam aprendizado. Algumas coisas. A grande maioria não vão registrar. Elas vão passar.

Vocês se preocupam com tudo. E tudo é negativo. E tudo é só o que vocês sabem fazer. Só vocês é que sabem cuidar. Só vocês sabem cozinhar. Só vocês que sabem limpar vidro. Não é possível, meus amigos.

Primeiro, porque aqui ninguém é insubstituível. Segundo, ninguém é tão perfeito que não haja pessoas que possam fazer igual. Aqui tudo é muito relativo. É preciso viver nessa relatividade. Ser relativista é fundamental. Então, recomendo a vocês que sejam mais pacientes com vocês mesmo. Procurem eliminar isso tudo.

Outra coisa, é preciso ser sério. Todas as pessoas. É horrível falar com um homem que a cada cinco ou seis palavras ele diz alguma coisa que é engraçada, ou que faz as pessoas rirem. Não dá para ser assim. Mas, não dá para ficar o dia inteiro concentrado e demostrando para os outros que não está satisfeito: Que é horrível. Que as pessoas são péssimas. Que ele tem de reagir. Que todo mundo é mau. Não da para ser assim.

Tem que ter um rosto aplausível. Um diálogo com o rosto, com os olhos. Um diálogo com o mundo, com a própria face. Isso é um diálogo. Não pode ser alguém que está contra o mundo. Contra, e contra, e contra. Não! Tem que se preparar. Tem que mudar.

Eu estou dizendo isso para vocês porque quero vê-los saudáveis, felizes, dispostos, evidentemente. A construir cada vez mais. Isso é fundamental. É fundamental.

Então, O que eu proponho a vocês é o seguinte: há pessoas que se aproximaram de vocês, que tem defeitos como vocês. Por favor, sejam pacientes com as pessoas. Por favor, particularmente com o companheiro, a companheira. Não da para exigir.

Não há dois seres humanos iguais. Porque no dia que houver dois seres humanos iguais. Olhei o outro olhou também. Fez isso, o outro também. Os dois vão destruir a humanidade. Não da para ter dois iguais. Dois iguais destruiriam a humanidade. Os valores da Terra.

Vocês terão que entender, que vocês tem de aceitar a diversidade. A diversidade do parceiro que está ao lado, daquela outra pessoa. Não se agastem tanto. É horrível isto.

Um dia, passou aqui um menino de onze anos. E ele viu o primo desencarnar. Eu Estava fazendo as prescrições, os receituários e, eu sabia que ele ia chegar e ia falar comigo. A mãe havia me dito que vinha conversar comigo. Eu fiquei pensando, eu tenho de dizer alguma coisa para esse sujeito. Eu tenho de fazê-lo compreender.

Eu estou desesperado. Eu não vou me conformar com a morte de meu primo. E agora?

Vo procure compreender, faça mais ou menos assim. – (Vocês depois façam o juízo que quiserem).

Você já viu um casulo? Veja que de repente, ele fechou-se. E deu uma ideia de que ele morreu. De repente vai abrir-se e vai voar, muito. É uma borboleta que vai voar. Então teu primo, nesse momento, está voando aonde? No céu. Olhe aqui para mim. Ele vê você, mas vo não está vendo. Porque num primeiro momento você não vai ver. Mas se você prestar mais atenção para futuro, vai sentir que ele está voando muito alto. Mas bem.

Pensem vocês o seguinte: não se agastem tanto também com a morte. Eu sei que é difícil, meus amigos. Vocês pensam que eu não sei? Eu vivi aqui na Terra. Então estou esses anos todos atendendo pessoas que desencarnam. Eu sei como é difícil. Não pense que eu acho que é fácil, e que vocês são espíritas e não devem chorar. Não! Chorem tudo o que vocês tiverem direito. Mas, com moderação e com equilíbrio.

Sejam compreensivos. O importante é compreender, que quem reencarnou faz o trajeto para o desencarne. Todos. Cara bonita, cara feia. Todos. Ninguém vai ficar. Aqui não faz semente como o corpo. Não dá. Vocês tem sempre que imaginar isso. Então, procurem ficar tranquilos, compreensivos.

Lembre-se de uma coisa que eu disse. Eu gosto de vocês todos. Eu ficaria muito feliz. Eu ficaria muito agradecido se eu sentisse que cada um de vocês é alegre. É isso.

Tem que ser alegre. Tem que ter uma alegria interna. Uma alegria interna. Uma alegria para ver o mundo. Para ver as pessoas. Para sentir. Mas isso não pode ficar só aqui na sala enquanto eu estiver conversando. Quando vocês saírem ali, vocês não podem imaginar que alguém está me olhando feio.

Vocês vão ter que burilar vocês, para ver se vocês conseguem realmente fazer essa descoberta extraordinária de que há luz em cada um de vocês. De que há esperança em cada um de vocês. De que há paz em cada um de vocês. E que vocês tem o poder de discernir em fazer o melhor.

Deus esteja conosco. Que Jesus nos ilumine. Que agente de mãos dadas construa um mundo melhor.

Estou junto com vocês. Estou vendo vocês. Que nem aquele menino. Ele não está vendo a borboletinha voar, mas ela está voando. Eu estou voando perto de vocês. Então estou vendo como vocês estão agindo. As vezes eu levo um susto. As vezes eu me assusto. Será que não aprendeu ainda? Não aprendeu. Mas, como todo mundo aprende devagar, porque é na diversidade também. Vai tropeçar na frente. Quem sabe perder a unha do dedão grande do pé. Dai acostuma-se a andar.

Sejam felizes.

 

 

 

Documentos SBEE nº 33

Documento SBEE nº 33

Cada Tijolo, um Coração

Cada Tijolo, um Coração!! Clique!

Revista Ser Espírita nº 30

Revista Ser Espírita nº 30

Projeto Grão em Grão

Novas Metáforas do Pensamento Espírita

Novas Metáforas do Pensamento Espírita

Antropologia Espírita

 

Antropologia Espírita

Área Restrita